Por Que Nosso Padrão de Alimentação Sugere Leite de Gado?

O argumento sempre surge com a conotação de que o leite de gado é um alimento “menor” e está “tomado de toxinas” e “não é ideal”.

Não discutirei o mérito por este viés, porque se leite de gado fosse alimento para seres humanos, a vaca seria a nossa mãe. Ponto.

Porém, lidamos com pessoas de verdade, dentro de uma Cultura e dentro de um padrão de alimentação que envolve quatro fatores fundamentais: (a) gosto, (b) adaptação química, (c) possibilidades financeiras e (d) conhecimento com disposição para aplicá-lo.

Eu adoto o uso no meu aconselhamento, pelo menos 4 “alimentos” que não são retirados num primeiro momento, porque eu trabalho com TRANSFORMAÇÃO CONSCIENCIAL e não com uma metodologia fria e tecnicista de que “o sujeito deve comer tudo puro e perfeito” – porque esta hipótese é, (a) além de infantil, (b) uma impossibilidade; sobretudo, para alguém como eu que tenho (c) atuado com aconselhamento para milhares de pessoas em uma escala enorme de abrangência. As pessoas (d) não reagem bem a mudanças extremas salvo em casos em que o risco iminente de uma morte rápida ou tragédia está diante de si.

Bem, quais são os referidos “alimentos” que considero em minha orientação como negociáveis para um Naturologista com 25 anos de carreira? Estes: leite de gado, peixe, frango e ovos.

O sujeito do outro lado do birô é uma pessoa com inteligência suficiente para entender o processo. Habituado a comer carne de porco, de boi, de bode, de carneiro todos os dias/semanas; habituado a beber toda sorte de refrigerantes e bebidas alcoólicas; daí chega o ‘naturologista’ e quer colocar o sujeito em leite de soja com tofu e arroz integral? Eu teria que ser muito tolo em achar que meu Consultório vai sobreviver e existir por dois ou três meses com uma linha “radical” deste tipo.

Mas, permitam-me ampliar a realidade a que me refiro aqui!

O que temos ao nosso redor, segundo os dados oficiais do IBGE e do Ministério da Economia, em toda parte da Nação é que:

  • A população está com uma situação econômica que se define como precária e com 55% de nosso povo vivendo entre 1 a 3 salários mínimos o que não lhe permite viver uma vida digna em nenhum sentido, muito menos comer leite de castanha, leite de côco caseiro ou mesmo leite de soja, na verdade, mal conseguem sobreviver com a mínima dignidade com este tipo de remuneração – estas pessoas possuem diversos GASTOS em diversos SETORES e não vão deixar detê-los para comprar comida de vegetariano e nem se dedicarem a sequer ouvir sobre este assunto – eu teria que ser muito tolo para achar qualquer coisa ao contrário!;
  • A população está absolutamente despreparada e sem qualquer noção do que significa “dieta alimentar naturista”, muito menos “veganista” e mais ainda “Dieta do Éden” – de sorte que a simples menção de cortar “carne, café, pão, macarrão, bolo, condimentos, refrigerantes, etc.” – já é considerado coisa de fanático e gente sem noção (neste caso nós!);
  • A população está acostumada há 5 gerações no uso de certas substâncias que não estão indicadas na Tabela, como “açúcar branco e de outros tipos, enlatados em geral, chocolate, etc.” – o fator SABOR DA COMIDA é fundamental. As pessoas não vão deixar de comer o que gostam só porque um Naturologista ou defensor de direitos de animais está falando isto ou aquilo; pelo contrário, a realidade em 24 anos me demonstrou que o que causamos é sempre “espírito de resistência e oposição com chacota” – daí porque a estratégia, o tempo todo, deve ser a de não confrontar, não bater de frente e não pretender ser o SÁBIO QUE VAI ENSINAR VERDADES AO POVO – mas, de ser amigo e ir, SUTILMENTE, com generosidade e paciência, educando pela SIMPATIA e não pela confrontação – o contrário não funciona e afasta os clientes;
  • A população está treinada a resistir a qualquer mudança em qualquer grau de CONFORMIDADE – a vida da população brasileira em sua maioria esmagadora, e daí o nível sobe para 95% de todo o povo é como vemos no dia-a-dia: comem o que querem e o que se serve em toda parte.

Isto dito observe-se O QUE TÊM DE POSITIVO NAS MINHAS TABELAS e não o que “seria criticável”.

Um café da manhã com café + açúcar + pão branco + manteiga + bacon + ovos fritos + presunto está longe de ser uma coisa boa em qualquer grau de consideração; porém, a vitamina com LEITE de qualquer tipo – e todos os outros componentes indicados, é muito superior a qualquer linha que a pessoa venha praticando; CONSIDERANDO OS  ITENS que sujeitam a população e que mencionei anteriormente.

Hemos que ter cautela, cuidado, paciência e entender QUE NO FINAL A PESSOA COMERÁ O QUE QUISER E NÃO O QUE EM NOSSA MENTE INTERIOR ENTENDEMOS SER O QUE É MELHOR. NÃO VAI FAZER NADA PORQUE ESTOU DIZENDO – ela tem que ser convencida e ninguém aceita que “mandem em sua vida!” – portanto, é processo educativo e nunca impositivo.

Já acompanhei diversos casos de pessoas que diziam: “vou mudar tudo, agora serei santo, agora vou viver de modo perfeito na alimentação!

Daí em alguns meses estava desempregado (a vida tem outros fatores sazonais a serem considerados) e não tinha como comprar grão de bico, granola, mel puro, trigo sarraceno, frutas de primeira e, entraram em crise emocional pela impossibilidade imperativa da crise econômica, tiveram que comer qualquer coisa que lhe serviram e se tornaram amargos no trato. Dinheiro vem ANTES DA DIETA! Sempre e sempre!

Nosso trabalho é de EDUCAÇÃO ALIMENTAR mediante aconselhamento baseado NA FILOSOFIA DE VIDA que se preconiza na Naturologia Clínica, com base em Mestres Históricos, entre eles Sebastian Kneipp, Manuel Lezaeta Acharán, Eduardo Alfonso y Hernán e Ellen Gould White – em todos estes, a dinâmica é: EDUCAÇÃO É PROCESSO!

Não somos NUTRICIONISTAS – somos Conselheiros de Saúde! Pretender atuar como nutricionista sem sê-lo é: (a) cometer crime porque é ilegal, (b) atuar numa área em que as situações de doenças nutricionais são, por força de lei, privativas de nutricionistas diplomados e licenciados, (c) impossibilidade rigorosa com base em nosso Curso porque não ensinamos uma ‘dieta’ ou ‘padrão perfeito’ e (d) não é a nossa proposta em nenhuma ocasião e quando falamos de alimentação, falamos de um sistema calçado numa filosofia de vida, da mesma que a Ayurveda, a Chinesa, a Antroposófica, a Xamanista – todas com sugestões de alimentação, da mesma forma que os restaurantes de milhares de Cidades oferecem uma proposta de alimentação no cardápio e não há nenhum Nutricionista envolvido e nem por isto os milhões de quiosques, restaurantes pequeninos e trabalhadores ambulantes também não possuem esta demanda – nosso povo come o que pode, como pode e dentro de UMA CERTA TRADIÇÃO MÍNIMA DE CONSCIENTE COLETIVO que usamos à nosso favor para encontrar um equilíbrio entre DINHEIRO x COMIDA NATURAL.

Nossas Tabelas objetivam apontar uma experiência que tem funcionado magnificamente em mais de 25 anos de prática, com base neste critério de julgamento e ação, com estas tabelas!

Se há alimentos nas Tabelas que farão mal a alguém não tenho verificado nestes 25 anos, salvo o caso em que se constate que “um determinado lote de alimentos em uma localidade esteja adulterado nas mínimas regras determinadas pelo Governo” – mas, via de regra, 100% dos alimentos agropecuários que a população come já é tratada com AGROTÓXICOS ou MEDICAMENTOS e não há quem possa mudar isto na realidade da MACROECONOMIA que nos fez o segundo, senão o primeiro País em alimentos em toda a Terra – a balança comercial brasileira depende do “agronegócio”.

Quem anda comendo comida sem estas substâncias envolvidas?

Tenho acompanhado iniciativas pontuais em muitos lugares com os alimentos orgânicos, que é um filão de mercado que cresce ano-após-ano; se alguém pode usar deste expediente? Maravilha!

Porém, somos profissionais de Terapias Naturais e no consultório TEREMOS QUE FAZER CONCESSÕES, FAREMOS NEGOCIAÇÃO; sempre em favor da pessoa do outro lado.

As Tabelas dizem: USE SOMENTE LEITE DE GADO? Não. Há outras opções de leite de côco ou de soja, por exemplo, mas poderíamos colocar, o caríssimo leite de castanha e leite de gergelim – mas cadê o dinheiro pra comprar isto? Onde tem isto nos 5.200 Municípios Brasileiros?

Na ponta da realidade quem vai decidir pelo poder de compra? O cliente. Mas, normal em 55% de nosso povo é que nem o dinheiro pra comprar banana e aveia o cidadão possui! Leite ele consegue ter até de graça num Posto de Saúde. Não é o ideal; é claro que não! – mas, entre o que é IDEAL e o que é POSSÍVEL NA REALIDADE, ficaremos com O QUE FOR VIÁVEL e MENOS RUIM.

Tive uma severa discussão há alguns anos com um defensor de Veganismo e com um Vegetariano – cheios de “santidade religiosa” e “critérios de dizer verdades” / beleza! Meu consultório estava sempre com uma média de 8-12 pessoas por dia, 5 dias por semana e eles nem 2 ou 3 por dia conseguiam. Mas, não era só isto!

Outro fator que usei para confrontá-los à época foi: quantos perseveram em seus tratamentos e quantos vocês conseguem fazer evoluir numa mudança de estilo de vida em um ano de educação para qualidade de vida? A média era baixíssima! Enquanto isto, a obra que lidero nestes 24 anos avança e se mantém firme, a despeito das diversas dificuldades que verifico no NORTE-NORDESTE BRASILEIRO com as pessoas de baixo potencial econômico.

Ademais, a abordagem Naturológica transcende o discurso fácil sobre comida natural e o tipo de situação em que o sujeito “diz ao povo o que devem ouvir” e se sente em paz consigo mesmo, porque “disse o que devia” e com isto imagina que fez sua parte – e, ainda sai depois dizendo: “agora eles que mudem”! Ora, este tipo de sujeito sabe da vida financeira e das dívidas e das dificuldades das casas dos outros? Um bobão destes deveria ser proibido de sequer ter o direito de falar em auditórios, porque sem este critério que acabo de indicar, se torna motivo de riso e ofende a inteligência dos sábios e a realidade dos pais de família.

Meu conselho? Aos ex-alunos, alunos e a quem interessar possa?

Usem as Tabelas que sugiro como referência e conforme cada caso, dialoguem com as pessoas, porque uma dieta de leite de soja + banana, tofu e pão integral com mel tem um gosto horrível assim como muitas outras sugestões de “alimentação perfeita vegetariana” e não se “dobra” (muda) o sabor de uma pessoa sem paciência e muita disciplina individual e pessoal.

O cliente decide, sempre!

Prof. Jean Alves Cabral

http://pastorjean.com.br

Naturologista Clínico, Pastor, Gestor e Pedagogo; brasileiro, carioca (21/09/1968), casado com a Profª e YouTuber Keyla Leão; atua desde 1997 com as Terapias Naturais numa visão cristã da realidade e da técnica. Seus escritos, palestras, aulas, vídeos, cursos, seminários e apresentações objetivam tratar sobre saúde e qualidade de vida valendo-se do bom senso e da melhor ciência disponível à luz da visão cristã da realidade.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas