O Problema do Nome Próprio de Cristo – 1ª Parte.

Você ouviu algum babaca religioso dizer que:

– Nome próprio não se traduz?

– Que nome próprio só se translitera?

Pois este idiota é um embusteiro e metido a sabido, quando na verdade, está absolutamente errado e ensinando mentira como todo vigarista de olho em fundar uma igrejinha qualquer e faturar com dízimos dos otários e ainda mais, manipular e controlar mentes com sua suposta autoridade espiritual, infectando-os com doutrinas adjacentes à esta teoria sem pé nem cabeça no plano da realidade, mas que farão das pessoas que se ligam nisto verdadeiros alienados.

E gostam de uma polêmica! Querem estar onde coisas como esta que acabo de escrever é dita ou apresentada. Tenho materiais que chegam a mais de 400 páginas de argumentos infindáveis, porém, nada há nestes indivíduos que seja explicando como é que o evangelho do Reino será levado a todas as nações em plena Era do Fim como estamos vendo e, pelo que podemos perceber, se depender deles com a “pronúncia única aceitável diante de Deus” em hebraico, o resto do Mundo e todos os milhões de evangelistas estão fazendo papel de idiotas e tolos nas missões!

Mas, enfim, nome próprio se traduz ou não?

Cadê as Provas?

  • Pedro em grego, Simão em hebraico, Cefas em aramaico (João 1:42 e Mateus 10:2) mas, se fosse TRANSLITERADO PARA O PORTUGUÊS seria: pedregulho.
  • Mateus é o mesmo que Levi (Mateus 9:9; Marcos 2:14 e Lucas 5:27,29).
  • Tabita em aramaico, em grego é Dorcas (Atos 9:36,39) em português é Veado.
  • Gólgota em hebraico e aramaico, em latim é Calvário (Mateus 27:33; João 19:17) em português “cabeça de cadáver”.
  • Abadom em grego e dito em hebraico Apoliom (Apocalipse 9:11) e em português significa “destruição”.
  • Jetro, sogro de Moisés é o mesmo que Reuel (Êxodo 3:1; 4:18; 2:18-21).
  • Esther em grego, do livro que leva seu nome é Hadassa em hebraico (Ester 2:7).
  • Salomão tem um outro nome totalmente diferente “Jedidias” (2ª Samuel 12:24-25).
  • A mesma cidade que nominamos de Jerusalém, recebe também outros dois nomes em línguas diferentes: Salém e Jebus – onde? Aqui: Gênesis 14:18; Salmo 76:2; Josué 15:8; 16:28; 1ª Crônica 11:4-5. Em árabe, língua dos muçulmanos, a cidade é chamada de El-Kuds. Poderíamos dizer que London em inglês está errada por ser denominada Londres em português? Quem no Brasil chama Holanda de Nederlandem? Quem chama Japão de Nippon? Ou Noruega de Norwai?
  • Silvano é o mesmo que Silas – 2ª Coríntios 1:19; 1ª Tessalonicenses 1:1; 1ª Pedro 5:12; Atos 15:22,27,32,40 e 17:4,10.

Outra coisa bem clara é a seguinte:

– Paremos uma pessoa qualquer na rua e façamos a seguinte pergunta para ela: o que você entende quando alguém diz o nome de Jesus Cristo, ou Jesus de Nazaré, ou Jesus apenas?

Eu mesmo respondo:

– Qualquer um dirá, mesmo não sendo nem crente neste nome que estamos falando do Filho Unigênito de Deus, o Salvador do Mundo, o Senhor, o Fundador da verdadeira Igreja Cristã, aquele que os cristãos celebram na Páscoa, que rememoram no Natal, que pensam quando observam uma Bíblia, o filho de Maria e José, nos circuitos mais reservados de fiéis da religião criada por Ele (João 4:20-24; Efésios 2:20-22; Mateus 28:18-20) como o Redentor, o Rei de Israel, a promessa feita a Adão, Abraão, Isaque, Israel, Davi, todos os profetas e apóstolos.

Isto nem é passivo de discussão.

Imaginar que Ele manteve a humanidade inteira na mais profunda ignorância sobre “um nome que seria obrigatório” senão vamos todos para a desgraça é ser um completo imbecil – porque Ele mesmo disse que os seus servos seriam perseguidos por causa do Seu Nome ao longo dos séculos e isto vem acontecendo desde o século I até hoje e o nome pronunciado por toda parte não é Yehoshua’ e sim Jesus veja: Mateus 10:22 e Lucas 21:17.

Ora, então sou um analfabeto funcional que rejeita o nome Yehoshua’? De modo algum! Tenho-O na mais elevada estirpe e documentos suficientes para saber que é legítimo!

Então, qual é a demanda aqui?

Enlouquecer a vida das pessoas com um fundamentalismo tacanho, perverso, limitado de que o sujeito que não disser este nome em hebraico está fora do Reino de Deus, perdido, é inimigo da verdade e conspira ao lado de Satanás!

E estes “pirados” andam por todo canto que podem, enchendo o saco, aliciando gente de mente fraquíssima a embarcar na onda deles onde, depois de cooptados para este assunto, isolado de todo raio de visão de qualquer outra questão, iniciam a doutrinação em toda sorte de teorias igualmente doidas. Tem um grupo que os caras andam pelas ruas vestidos como no período entre o século III antes de Cristo até meados do século IV depois de Cristo. E para estes caras, isto significa alguma espécie de “santidade”.

Porém, o que parece motivo de riso para muitos é na verdade uma espécie de doença psicológica muito complexa que tem na sua raiz a necessidade de ser aceito pela sociedade. É uma fantasia onde o sujeito precisa ser especial de alguma forma e como se vê esmagado pela realidade da vida – se coloca como “descobridor de uma doutrina superior” e que “ninguém entre os poderosos sabe”, porque, na sua visão, estes poderosos estão mancomunados há cerca de 2 mil anos para esconder de modo proposital e calculado o “nome verdadeiro com a pronúncia verdadeira”.

E então, abrem a bocona para blasfemar de manhã, de tarde e de noite o “Nome Sagrado” que deveria ser usado em situações muito, repito com ênfase, muito especial.

Há muito mais para se dizer sobre esta doutrina maluca que deseja:

  • Minar e destruir a fé que temos na Bíblia;
  • Lançar uma dúvida sobre a própria liderança espiritual de Deus ao longo de 2 séculos, porque se o nome só vale agora que estes caras descobriram (por hipótese) a pronúncia verdadeira, o próprio Deus é um péssimo orientador de Sua doutrina, porque deixou o demônio manter isto num super-segredo por estes 2 mil anos e com isto vencê-Lo na tentativa de salvar todas as pessoas que adoraram usando este suposto “nome falso”;
  • Esta teoria vai abrir uma porta de dúvidas e ceticismo contra as Escrituras Sagradas e logo a pessoa estará se achando superior e mais inteligente porque conhece estas supostas falhas e não tardará a ser um completo ateu e inimigo da própria Bíblia; e,
  • Por fim, quem corre atrás deste tipo de “besteira” acabará perdido em si mesmo – aliás, já está.

Mas, estou pronto para responder pelas Escrituras, pela razão óbvia, pela teologia e até pela filosofia sobre este assunto – porque uma coisa é o “mundinho da fantasia” destes bobalhões que pensam que serão capazes de evangelizar os 212 países do Mundo com esta besteira de “nome da pronúncia obrigatória” e outra coisa, bem diferente, é a “realidade” em que um enorme exército de evangelistas de milhares de ministérios estão focados em explicar ao Mundo todo o que significam as palavras de 2ª Coríntios 5:17-21.

Ou seja, enquanto estas crianças problemáticas ficam discutindo “pronúncia correta” e proclamando que “tudo está errado e lascado” – os homens de verdade estão fazendo o trabalho de gente grande nas missões, dando a vida em sacrifício no altar do evangelismo com o nome Jesus Cristo e as provas de que funciona estão lastreadas por toda parte: basta acompanhar os sinais da conversão de pecadores à Pessoa de Cristo e a sequência de Seu domínio sobre tais convertidos.

O resto?

É um cafezinho num pitoresco lugar em Florianópolis, no calçadão da Rua Felipe Schmidt chamado: senadinho; ou se preferirem, no mercado do Ver-o-Peso na dadivosa Belém do Pará!

Prof. Dr. Pr. Jean Alves Cabral

http://pastorjean.com.br/

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas