A Salvação é a Maior de Todas as Questões

Em Mateus 16:26 está o tema mais importante de toda a Bíblia, é a suprema questão da realidade de quem quer que seja.

As pessoas gastam um enorme tempo com toda sorte de coisas, mas este assunto parece ficar relegado a um décimo plano, quando é sequer lembrado.

O que está escrito nesta passagem?

“Pois que aproveita ao homem, se ganhar o mundo inteiro, e perder a sua alma? ou que dará o homem em troca da sua alma?” (Mateus 16:26).

Tenho visto algumas pessoas de minha roda de amizades extremamente viciadas em política e, no Brasil atual[1] esta questão está em profunda ascensão em face da revelação dos escândalos envolvendo uma coisa terrível denominada Foro de São Paulo e todos os políticos corruptos que estão na cadeia em decorrência desta aberração.

Mas, o sujeito fica tão tomado desta coisa que acaba por esquecer que, se morrer hoje não será com política que terá que se haver e sim com Deus e a questão suprema da própria alma. E se esta minha palavra deixa você triste, advirto como pastor que sou: cuidado! Temos exemplo de pessoas que se apegam demais às coisas da Terra e se dão mal; veja este exemplo:

“E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me. Mas ele, pesaroso com essa palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades.” (Marcos 10:21-22).

A demanda de Jesus Cristo é muito simples e sob nenhuma hipótese devemos nos esquecer dela. É um mandamento que está acima de todos os outros mandamentos e diz assim:

“Buscai o Reino de Deus e a Sua Justiça e todas as demais coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33).

No ofício pastoral, como qualquer humano normal, tenho os estresses diversos que me assediam e me tornam fraco, frágil, angustiado com as responsabilidades e demandas. Eu reputo que seja a mesma coisa com todos os demais seres humanos em suas lidas. Eu ainda acumulo as funções de professor de medicina natural, clínico, estudante, chefe-de-família, líder sindical e de associação profissional e tenho outras responsabilidades sazonais. E digo isto não por exaltação, mas para explicar que com frequência tento manter em minha mente esta passagem aqui:

“Então, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé? Portanto, não vos preocupeis, dizendo: Que iremos comer? Que iremos beber? Ou ainda: Com que nos vestiremos? Pois são os pagãos que tratam de obter tudo isso; mas vosso Pai celestial sabe que necessitais de todas essas coisas. Buscai, assim, em primeiro lugar, o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará suas próprias preocupações. É suficiente o mal que cada dia traz em si mesmo.” (Mateus 6:30-34).

No momento em que qualquer cristão perder de foco esta questão, acaba de se tornar um “pagão sem Deus no Mundo”. Não interessa se é membro da igreja “a” ou “b” – se você individualmente colocar qualquer tarefa, desejo, tema, proposta, teoria, ocupação, sonho, ideal, atividade, etc. acima da clareza desta mensagem, já se tornou um completo perdido e já entrou pelas portas escancaradas do inferno.

E sugiro que não desafie o que estou dizendo, porque os registros de todas as desgraças que ocorrem nesta vida são fruto deste tipo de estupidez.

Em Romanos 14:17 está definido:

“Pois o Reino de Deus não é comida, nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo”.

Em Colossenses 1:13-14 lemos:

“Pois Ele nos resgatou do domínio das trevas e nos transportou para o Reino do Seu Filho amado, em Quem temos a redenção, a saber, o perdão dos pecados.”

Nada vale nesta vida o nosso esforço se não estiver em harmonia com esta dinâmica do Reino de Deus.

Se os bens materiais nos dominam, renunciemos à eles como foi determinado ao jovem rico da parábola (citada); se for política de qualquer lado do embate atual, deixemo-la de lado; se for sexo ou comer e beber; enfim, não interessa o que seja:

“E chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me. Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, esse a salvará. Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? Ou, que daria o homem pelo resgate da sua alma? Porquanto, qualquer que, entre esta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai, com os santos anjos.” (Marcos 8:34-38).

Espero que esta reflexão possa servir de lenitivo para muita gente que está escolhendo estresse, ansiedade, mal-estar, agitação psíquica, dívidas, contendas, complicações de toda sorte de modo inútil.

Prof. Dr. Pr. Jean Alves Cabral

http://pastorjean.com.br

_____________________

[1] Escrevo em Setembro de 2019.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas