Solilóquio de Jean Alves Cabral

Um solilóquio é recurso dramático ou literário que consiste em verbalizar, na primeira pessoa, aquilo que se passa na consciência de um personagem;

Eu sou uma personagem de minha própria História; há outras personagens muito importantes, Deus, minha esposa, filhos, netos, meu pai e mãe, amigos, conhecidos, enfim, há uma História;

Não tenho me alongado em contar as minhas façanhas e nem os perigos pelos quais passei, é óbvio que não posso querer que os outros deixem suas próprias Histórias, para terem prazer na minha, isto seria coisa de alguém narcisista e narcisismo é um distúrbio de personalidade tratável que não tenho, estou mais para um controlado bordeline;

Mas, aprendi, contando meus dias como diz a Bíblia no Salmo 90:12 que não devo contar muito com outras pessoas, na medida do possível eu devo fazer minhas coisas sozinho, exatamente porque são minhas coisas e não “nossas” e desta forma dá mais certo.

No meu solilóquio, eu sei que minha vida é uma peça de teatro que não me permite ter ensaios, tudo é feito de improviso dia-a-dia!

Então, as regras são “viver com a mulher que amo todos os meus dias e trabalhar com o que tenho vocação” (Eclesiastes 9:9), daí que eu canto, choro, danço, sorrio e vivo intensamente o que posso, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.

Como muito bem disse Sêneca: “apressa-te a viver bem e pensa que cada dia é, por si só, uma vida”.

Com esta visão aprendi a estar sozinho dentro de mim, mas sem estresses e mendicância emocional exterior, sem arrogância com os outros porque sei que todos estão na mesma espécie de jornada que eu, uns mais atentos e outros menos ‘ligados’.

Ao final de cada ano fica claro que estou indo em direção ao fim de meus dias, apenas para descobrir que em breve eles começarão como diz a Escritura: “convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade” (1ª Coríntios 15:51-58).

Ao final de todas as questões, de todas as lutas, de todas as derrotas e vitórias, de tudo que pude viver em meu tempo, fica a certeza de que, à semelhança de Davi no leito de morte perante seu filho Salomão disse e eu recebo com resignação: “eis que vou pelo caminho de toda a Terra; esforça-te e sê homem” (1ª Reis 2:2).

“Ouve Senhor: tenha piedade de mim, Senhor! Sê o meu auxílio! (Salmo 30:10).

Meu solilóquio é esta oração permanente!

Pr. Jean Alves Cabral

http://pastorjean.com.br

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *